Desajustamento: a hermenêutica do fracasso e a poética do palhaço – Heidegger e os palhaços

Autores

Palavras-chave:

Heidegger, Palhaço, Fenomenologia, Filosofia, Teatro

Resumo

O artigo apresenta algumas ideias heideggerianas aplicadas à arte da palhaçaria. Quatro princípios de prática da arte dos palhaços são analisados à luz do desajustamento – um conceito baseado na capacidade que o palhaço tem de não se enquadrar nas convenções teatrais, cinematográficas e sociais criando assim uma linguagem própria. Em uma abordagem ontológica, o artigo procura examinar o que significa ser um palhaço-no-mundo. Ao seguir um princípio Heideggeriano, o palhaço é analisado aqui levando em conta o seu fazer artístico; o palhaço é o que o palhaço faz: esse é o princípio básico da poética do palhaço. A conclusão propõe um olhar sobre a forma de pensar do palhaço – que aqui é chamada de lógica desajustada – e mostra a hermenêutica do fracasso, na qual a lógica do sucesso se torna questionável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Beré, Royal Central School of Speech and Drama

A Poética do Palhaço. Martin Heidegger, o conceito de desajustamento e os principios de prática da arte do palhaço

Publicado

2020-02-04

Como Citar

Beré, M. (2020). Desajustamento: a hermenêutica do fracasso e a poética do palhaço – Heidegger e os palhaços. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 10(1), 01–30. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/99055

Edição

Seção

Filosofia-Performance