Ações artísticas na educação – a cena expandida em cenário expandido

Autores

Palavras-chave:

Ação artística, prática artística e educação, cena expandida, corporalidade, formação de professores

Resumo

Nesse texto apresento possibilidades de realização de ações artísticas em contextos de educação formal, buscando afirmar a escola básica e a universidade como potentes espaços culturais e artísticos na sociedade. Tais ideias nascem e se desenvolvem por meio da investigação cotidiana de minha prática docente desde 2009, como professora universitária na formação de professores de teatro, focada em estudos da corporalidade no campo da Educação e da criação artística. Algumas práticas artísticas da cena contemporânea expandida são os elementos catalisadores das ações realizadas e da reflexão em torno das práticas artísticas como processos de conhecimento que aqui proponho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulina Maria Caon, Universidade Federal de Uberlândia

Professora do Curso de Teatro da Universidade Federal de Uberlândia desde 2010. Graduação, Mestrado e Doutorado pelo Departamento de Artes Cênicas da ECA-USP. Colabora com o Coletivo Teatro Dodecafônico desde 2008.

Referências

ANDRÉ, Carminda Mendes. O Teatro Pós-Dramático na Escola. SP: Ed. UNESP, 2011.

ARAÚJO, Antônio. A cena como processo de conhecimento. In: RAMOS, Luis Fernando. Arte e Ciência: abismo de rosas. SP: Abrace, 2012, p.105-113.

ARAÚJO, Getúlio Góis de. All Star? Um estudo autoetnográfico sobre adolescentes, teatro e escola. Tese de Doutorado. RJ: UNIRIO, 2013.

ARENDT, Hannah. Entre o Passado e o Futuro. SP: Perspectiva, 1979.

BONATTO, Mônica Torres. Percursos entre arte contemporânea e processos de criação cênica na escola. Memória ABRACE Digital - Anais da V Reunião Científica da ABRACE. SP, 2009.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. RJ: Editora Francisco Alves, 1982.

CABALLERO, Ileana Diéguez. Cenários expandidos. (Re)presentações, teatralidades e performatividades. Revista Urdimento. (Florianópolis), v.15, 2010, p.135-148.

CARERI, Francesco. Walkscapes: o caminhar como prática estética. SP: G.Gili, 2013.

CECCATO, Maria. O Teatro Vocacional e a Apropriação da Atitude Épica Dialética. SP: Ed. Hucitec, 2010.

CSORDAS, Thomas J. Modos Somáticos de Atención. In: CITRO, Silvia (coord.), Cuerpos Plurales. Antropología de y desde los cuerpos. Buenos Aires, Biblos, 2011, p. 83-104.

DEBORD, Guy. Teoría de la deriva (1958). Internacional Situacionista: la realización del arte. Madrid: Literatura Gris, vol. I, 1999. Acesso: agosto de 2014. Disponível em: http://www.ugr.es/~silvia/documentos%20colgados/IDEA/teoria%20de%20la%20deriva.pdf

ESCUZA, César. Creadores creando comunidad. Tejedores de visiones y saberes. In: NOGUEIRA, Márcia Pompeo. Teatro na Comunidade: conexões através do Atlântico. Florianópolis: Ed. UDESC, 2013, p.52-62.

FÉRAL, Josette. Por uma poética da performatividade: o teatro performativo. Revista Sala Preta. (São Paulo), v.08, 2008, p. 197-210.

FÉRAL, Josette. La teatralidad: en busca de la especificidad del lenguaje teatral. In: Teatro, teoría y práctica: más allá de las fronteras. trad. de Armida M. Córdoba. Buenos Aires: Galerna, 2004.

FLASZEN, Ludwig. & POLLASTRELLI, Carla. (org.). O Teatro de Jerzy Grotowski 1959-1969. SP: Perspectiva: SESC; Pontedera,IT: Fondazione Pontedera Teatro, 2007.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. Petrópolis: Vozes, 1994.

INGOLD, Tim. Estar Vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. RJ: Editora Vozes, 2015.

JACQUES, Paola Berenstein. Elogio aos Errantes. Salvador: EDUFBA, 2014.

LEHMANN, Hans-Thies. Teatro Pós-Dramático. SP: CosacNaif, 2009.

OLIVEIRA, Ricardo Augusto Santos de. Labirinto do Minotauro: processo criativo de performance na escola com o tema do medo. Dissertação de Mestrado. Uberlândia: UFU, 2015.

PELBART, Peter Pál. Vida Capital – ensaios de biopolítica. SP: Editora Iluminuras, 2003.

PUPO, Maria Lucia de Souza Barros. O lúdico e a construção do sentido. Revista Sala Preta. (São Paulo), v.01, 2001, p.181-187.

QUILICI, Cassiano. O campo expandido: arte como ato filosófico. Revista Sala Preta. (São Paulo), v.14, no.02, 2014, p.12-21.

RACHEL, Denise Pereira. Adote o Artista não deixe ele virar professor: reflexões em torno do híbrido professor performer. SP: Editora UNESP, Selo Cultura Acadêmica, 2015.

SANTOS, Milton. Elogio da Lentidão. Publicado em 11/03/2001 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs1103200109.htm

SOARES, Carmela Correa. Pedagogia do Jogo Teatral – uma poética do efêmero. SP: Hucitec, 2010.

TURNER, Victor. O Processo Ritual: estrutura e antiestrutura. RJ: Ed. Vozes, 2013.

VELOSO, Verônica Gonçalves. Percorrer a cidade a pé: ações teatrais e performativas no contexto urbano. Tese de doutorado. SP: USP, 2017.

Publicado

2020-03-11

Como Citar

Caon, P. M. (2020). Ações artísticas na educação – a cena expandida em cenário expandido. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 10(2), 01–19. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/95565

Edição

Seção

Ação Cultural e Ação Artística