As Primeiras Narrativas Britânicas sobre a ilha de Bali: raça e civilização

Autores

  • Juliana Coelho de Souza Ladeira (Université Paris 8, França) Université Paris 8

Palavras-chave:

Raças, Teorias Racistas, Etnologia, Bali, Século XIX

Resumo

Este artigo pretende analisar os primeiros escritos de dois administradores-historiadores britânicos no arquipélago malaio: Thomas Stanford Raffles e John Crawfurd. O interesse do artigo é apresentar o início do discurso etnológico britânico sobre as “raças” do mundo, a partir de alguns trabalhos desses dois autores, em particular do segundo. Como John Crawfurd também ampliou sua reflexão sobre a noção de raças humanas a outros exemplos que o dos povos do arquipélago malaio, seus escritos são um indício da amplitude geográfica das teorias racistas do século XIX. Analisar esses discursos, frequentemente deixados de lado no círculo acadêmico brasileiro, é importante para tentarmos ampliar a discussão sobre a noção de raças humanas em diferentes épocas e contextos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Coelho de Souza Ladeira (Université Paris 8, França), Université Paris 8

Docteur à l'Université Paris 8, Juliana Coelho a enseigné à l'Université Rennes 2 (2014-2015), au département de théâtre de l'UFMG - Université Fédérale de Minas Gerais / Brésil (2005), à la Mairie de Belo Horizonte / Brésil (2003-2006), entre autres. 

Publicado

2017-05-07

Como Citar

Coelho de Souza Ladeira (Université Paris 8, França), J. (2017). As Primeiras Narrativas Britânicas sobre a ilha de Bali: raça e civilização. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 7(2), 316–332. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/72545

Edição

Seção

Performance e Relações Étnico-raciais