Corpoestados: singularidades da cognição em dança

Autores

  • Maria Helena Franco de Araujo Bastos (Universidade de São Paulo, São Paulo/SP, Brasil) Departamento de Artes Cênicas - CAC, Escola de Comunicações e Artes - ECA da Universidade de São Paulo/USP.

Palavras-chave:

Dança, Corpoestados, Criação, Sujeito, Conhecimento

Resumo

Este texto pretende apontar o modo de produção de conhecimento por meio da dança. Nesse sentido, aborda-se
o ato de dançar como modo de elaboração de conceitos, por meios dos quais o artista de dança reinventa o corpo e potencializa sua existência no mundo. No horizonte de análise que se adota, ação e cognição dão-se numa mesma escala temporal, sem distinções entre teoria e prática. A proposição do conceito de corpoestados é uma das vias de operação desse modo de conhecer, já que considera as ações mentais e os atos comportamentais como processos emergentes e comprometidos com os diversos contextos em que estão inseridos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Helena Franco de Araujo Bastos (Universidade de São Paulo, São Paulo/SP, Brasil), Departamento de Artes Cênicas - CAC, Escola de Comunicações e Artes - ECA da Universidade de São Paulo/USP.

Coreógrafa e bailarina. Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP. Atualmente é professora de Dança Contemporânea do Departamento das Artes Cênicas da ECA/USP/SP, na graduação e na pós graduação. Sua linha de pesquisa é Texto e Cena. Exerce o cargo de chefia do Departamento de Artes Cênicas – ECA/USP. Cofundadora e associada da ANDA (Associação Nacional de Pesquisadores em Dança).

Publicado

2013-12-04

Como Citar

Bastos (Universidade de São Paulo, São Paulo/SP, Brasil), M. H. F. de A. (2013). Corpoestados: singularidades da cognição em dança. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 4(1), 138–147. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/37894

Edição

Seção

Outros Temas