PAISAGENS RESIDUAIS E MUSEU DO VINHO: PATRIMÔNIO VITIVINÍCOLA NO SUL DE MINAS GERAIS

Marcelo Cervo Chelotti, Rosa Maria Vieira Medeiros

Resumo


O presente artigo teve como objetivo discutir as expressões do patrimônio associado ao cultivo da uva e do fabrico do vinho no sul de Minas Gerais, em especial nos municípios de Caldas e Andradas. Em relação aos procedimentos metodológicos, esses foram divididos em duas etapas, a pesquisa bibliográfica, e pesquisa de campo com objetivo de coletar os primários nos municípios, realizada em e julho de 2018. Os resultados demonstraram que a centenária tradição em cultivar a uva e fabricar o vinho produziram inegavelmente fortes traços identitários no sul mineiro, constituindo um significativo patrimônio associado as expressões materiais e imateriais da vitivinicultura. As marcas da tradicional vitivinicultura na paisagem estão cada vez mais residuais, mas por outro lado a salvaguarda desse patrimônio pode ser garantida a partir da criação do Museu do Vinho. 


Palavras-chave


Patrimônio Vitivinícola. Paisagens Residuais. Museu do Vinho. Sul de Minas Gerais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-0003.97709

Indexadores


Apoio