A Geografia na Obra de Júlio Verne: difusão, tradição e modernidade

Inês Aguiar de Freitas, Rodrigo Fernandes

Resumo


Utilizando-nos apenas de algumas das obras de Verne a título de exemplo, teremos entre nossos objetivos, neste trabalho, destacar alguns temas, características e elementos da geografia presentes nas obras de Verne que nos dão provas da enorme preocupação que este autor conferiu à geografia e aos temas relacionados à nossa disciplina. Podemos destacar três características na obra de Verne, no que tange a geografia: 1) A preocupação com a natureza da geografia e com o papel do geógrafo. Assim, nossa principal contribuição neste trabalho será investigar essas duas preocupações que parecem curiosamente incomuns entre aquelas que atraem um escritor de ficção, uma vez que concernem à história do pensamento geográfico mais especificamente; 2) A não inscrição de sua obra em uma determinada Escola do Pensamento Geográfico; 3) A situação de trabalhar dentro de uma “geografia antes da geografia”, mas, ao mesmo tempo prever o nascimento de uma geografia moderna. Trataremos ainda da obra de Verne sob dois aspectos: o divulgador científico e o visionário. Como divulgador da geografia que se fazia em sua época, os exemplos são muitos em toda a sua obra e se encontram no cotidiano de seus personagens. Como visionário, não lhe escapou nem mesmo a previsão do nascimento da geografia moderna. Podemos dizer que Júlio Verne fez da ciência uma presença viva em todas as suas obras e que encontrou na “verdadeira” geografia a certeza de estar escrevendo sobre a maior das aventuras humanas – a conquista da Terra.


Palavras-chave


Júlio Verne; Pensamento geográfico; Literatura e Geografia

Texto completo:

VISUALIZAR ARQUIVO PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-0003.36485

Indexadores

 

Apoio