“A gente é da vila, mas não é bandido!” O lugar e a juventude nas representações sociais dos jovens do bairro Guajuviras- Canoas/RS

Nola Patrícia Gamalho, Álvaro Luiz Heidrich

Resumo


O bairro Guajuviras, localizado no município de Canoas, região metropolitana de Porto Alegre(RS) é uma das paisagens do medo contemporâneas (TUAN, 2005). Nele, os indicadores de violência – associadas principalmente à juventude - corroboram para a produção de representações que homogeneízam os jovens e a periferia. Contudo, quem são esses jovens e como eles representam seus lugares?Em consonância com as representações hegemônicas? Busca-se, portanto, compreender as representações que os jovens do Guajuviras elaboram da sua juventude e do lugar. O caminho tomado para aceder a tais representações foi a realização de grupos focais – método de geração de dados em pesquisa qualitativa – na rede pública de ensino e na Casa da Juventude (Projeto do Pronasci). Potencializa-se, portanto, as narrativas dos jovens que se constituem no embate entre as representações de uma ordem distante e de uma ordem próxima (LEFEBVRE, 2000), a do vivido, da constituição cotidiana de significados e histórias.

Palavras-chave


Juventudes; Guajuviras; grupo focal; representações sociais; segregação Urbana

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-0003.35647

Para Onde!? / ISSN 1982-0003  / DOI https://doi.org/10.22456/1982-0003

Revista do Programa de Pós-Graduação em Geografia - Instituto de Geociências - Universidade Federal do Rio Grande do Sul


Indexadores e Repositórios

Apoio