A Relação Campo-Cidade e as “Novas” Ruralidades

Elmer Agostinho Carlos de Matos, Rosa Maria Vieira Medeiros

Resumo


Nos últimos tempos, tem-se verificado uma considerável tendência para a associação da vida em espaços rurais como a mais adequada para os citadinos. Esta valorização do espaço rural, que é associada à natureza, surge da constatação de que a urbanização, agregada à industrialização, principalmente da “industrialização da agricultura” estava minando os únicos vestígios naturais de que o planeta possuía. Neste contexto, os citadinos vêm o rural como a fuga do estresse, e tentam desfrutar das amenidades do espaço rural, refletindo-se numa maior procura do rural para a construção de uma segunda residência (ou ainda para a sua fixação definitiva) ou mesmo para a prática do turismo. Neste ensaio, pretende-se discutir sobre a relação rural urbana ao longo da história e, entender como as “novas” ruralidades podem ser aproveitadas como um catalisador para o desenvolvimento das áreas rurais, principalmente, daquelas denominadas como o rural profundo ou marginalizado.

Texto completo:

VISUALIZAR ARQUIVO PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-0003.25988

Indexadores

 

Apoio