A EUROPA E SUAS FRONTEIRAS, UMA QUESTÃO PROBLEMÁTICA

Clarisse Didelon, Delphine Blanchard

Resumo


O artigo aborda a questão das fronteiras no interior da União Europeia reconhecendo que se trata de uma questão ao mesmo tempo sensível e problemática: sensível porque ela está ligada a escolhas políticas importantes relacionadas à sociedade (livre comércio, livre circulação ou fechamento das fronteiras à migração); problemática porque duas tendências principais e contraditórias perpassam a política fronteiriça europeia – a abertura das fronteiras internas e o fechamento das fronteiras externas. Após indagarem quais são os impactos desta dupla política fronteiriça sobre o território europeu, o artigo trata dos limites da Europa; a questão da identidade e da percepção dos limites e das descontinuidades fronteiriças; a questão do alargamento da União Europeia e a política regional com ênfase para as regiões transfronteiriças; a construção do território europeu, a contradição entre a abertura de fronteiras internas (Espaço Schengen, 1991) e o fechamento das fronteiras externas e as consequências desta política, como o número crescente de mortes de migrantes que batem às suas portas.

Texto completo:

VISUALIZAR ARQUIVO PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-0003.24462

Comissão Editorial

Programa de Pós-Graduação em Geografia Instituto de Geociências Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
Telefone: 55 51 3308 6569
Fax: 55 51 3308 9843
E-mail: para-onde@ufrgs.br