LITERATURA E TERRITORIALIDADE NA FRONTEIRA BRASIL/BOLIVIA: UM ESPAÇO DO SER FRONTERIÇO

Tarissa Marques Rodrigues dos Santos, Lucilene Machado Garcia Arf

Resumo


Este artigo propõe a reflexão da literatura como um meio de aproximação de culturas que circulam no território fronteiriço Brasil-Bolívia, de como é vista a fronteira e como sentir-se parte dela. O uso da literatura serve tanto para ensinar a ler e a escrever quanto para formar culturalmente um indivíduo. Para dar sustentação teórica a este estudo, escolheu-se alguns conceitos essenciais acerca de território, territorialidade e fronteira a partir de autores como Raffesttin (1993), Saquet (2007) Nogueira (2007), Guhl (1991) e Hissa (2002), com o fim de colocar em debate a importância da literatura como construção de identidades de um povo e sensibilizar a comunidade com relação ao papel social de cada um na espacialização fronteiriça.

 


Palavras-chave


Literatura;Fronteira;Identidade;Território;Espacialização

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-0003.100558

Indexadores


Apoio