ESTRATÉGIAS DE MANUTENÇÃO E REVITALIZAÇÃO LINGUÍSTICA NO OESTE CATARINENSE;

Cristiane Horst, Ana Elizabeht Fornara, Marcelo Krug

Resumo


O presente artigo tem por objetivo traçar algumas estratégias que visem fomentar a manutenção de línguas minoritárias, autóctones e alóctones, na região Oeste Catarinense. A proposta é analisar as informações apresentadas nos sites das prefeituras municipais e no IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) referentes às línguas presentes no oeste de Santa Catarina, buscando saber quais são as línguas minoritárias mencionadas na região para poder verificar qual a visibilidade que tais sites dão à presença de outras línguas, além do português brasileiro. A partir dessa análise, buscamos compreender a relação estabelecida entre língua e constituição de identidade étnica de grupos minoritários, e a influência de tal proposição nos processos de manutenção ou substituição linguística. À luz dos resultados, destacamos a importância da aplicação de estratégias de manutenção de línguas minoritárias em diferentes esferas, a salientar nas escolas, nas comunidades e nas famílias.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.72292

Direitos autorais 2017 Organon

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

E-ISSN: 22388915 / ISSN Impresso: 0102-6267

LICENÇA

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

INDEXADORES

  

     

   

 

           Imagen relacionada

   

Flag Counter