Sulpícia e as elegias amorosas de uma jovem romana

João Angelo Oliva Neto

Resumo


Apresento as 11 elegias atribuídas por e não atribuídas por outros a Sulpícia, suposta sobrinha de Valério Messala Corvino (64–8 a.C.), orador, general, patrono das letras. A tradução feita em dísticos portugueses formados de alexandrino perfeito e decassílabo heroico. O modelo para assim traduzir encontro numa tradução que o poeta e crítico Péricles Eugênio da Silva Ramos (1919–1992) fez do poema 2, 27 de Sexto Propércio, poeta elegíaco romano do tempo de Augusto. Conjecturo que Péricles Eugênio desejasse obter em portruguês não apenas a sucessiva variação entre um verso mais longo e outro mais curto, o que é de certa maneira simples, mas tentasse fazer que o verso menor fosse uma variação cataléctica do anterior, isto é, fosse uma variação dele construída por abreviação, assim como é o pentâmetro datílico em relaçãp ao hexâmetro datílico em latim e grego. Para leitores não habituados à poesia antiga, a tradução é anotada e precedida de informações básicas referentes às letras latinas.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.60783

Direitos autorais 2016 Organon



E-ISSN: 22388915 / ISSN Impresso: 0102-6267

LICENÇA

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

INDEXADORES

  

     

   

 

           Imagen relacionada

   

Flag Counter