FREQUÊNCIA DE USO DE ÍTEM E INTELIGIBILIDADE DO INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA

Marcia Regina Becker, Denise Cristina Kluge

Resumo


A expressão latina que tem sido usada e considerada como a melhor para nomear o inglês do novo milênio é “inglês como língua franca”, ELF, cujo objetivo principal é ser mutuamente inteligível entre seus falantes de diferentes nacionalidades. Este artigo apresenta resultados de estudos de percepção de inteligibilidade, em que falantes de inglês de quatro diferentes nacionalidades - alemães, americanos, chineses e japoneses - produziram os estímulos que foram percebidos por brasileiros, falantes de português e que também falam inglês. Concluiu-se que, para os ouvintes brasileiros, a inteligibilidade de alemães, americanos e chineses foi acima de 75% e é independente de sua língua materna, e o grupo de japoneses apresentou os índices mais baixos. Aspectos relacionados à frequência de uso de item, cuja análise foi feita à luz da Fonologia de Uso e da Teoria dos Exemplares, pareceram ter tido um papel determinante na inteligibilidade: palavras pouco frequentes foram também pouco inteligíveis.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.52664

Direitos autorais



E-ISSN: 22388915 / ISSN Impresso: 0102-6267

LICENÇA

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

INDEXADORES

  

     

   

 

           Imagen relacionada

   

Flag Counter