PELAS MALHAS E VAGÕES DA MEMÓRIA: UMA ANÁLISE DE IBIAMORÉ, O TREM FANTASMA

Valéria Brisolara, Roberto Medina

Resumo


Ibiamoré, o trem fantasma (1981), de Roberto Bittencourt Martins, apesar de ser um dos mais admiráveis romances da literatura do Rio Grande do Sul, é pouco lido e estudado. Publicado pela primeira vez em 1981, voltou a receber uma nova edição somente em 2006. O objetivo deste artigo é analisar Ibiamoré, o trem fantasma como uma narrativa de memória e relacioná-la à noção de romance memorial proposta por Régine Robin e ao conceito de memória topográfica de Márcio Seligmann-silva. Buscamos seguir o chamado de Martins para que a lenda do trem fantasma, e a nossa história, não caia no esquecimento.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.48268

Direitos autorais



E-ISSN: 22388915 / ISSN Impresso: 0102-6267

LICENÇA

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

INDEXADORES

  

     

   

 

           Imagen relacionada

   

Flag Counter