NEUTRALIZAÇÃO DA VOGAL PRETÔNICA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS EM PORTUGUÊS BRASILEIRO

Luiz Carlos Schwindt

Resumo


Neste texto, na perspectiva da Fonologia Prosódica (Selkirk, 1984, 1996; Nespor e Vogel, 1986), tratamos da relação entre neutralização da vogal pretônica e processos de derivação e composição em português brasileiro (PB). Interpretamos as possibilidades de representação de um arquifonema propostas por Trubetzkoy para defender que a neutralização produz uma consequente redução no inventário fonológico da língua, que passa de 7 a 5 segmentos vocálicos, em moldes semelhantes aos sugeridos por Camara Jr. (1977). A partir disso, procuramos evidências para sustentar a associação entre acento primário e superficialização de vogal média-baixa em determinados dialetos do PB e para a consequente demarcação de fronteira de palavra fonológica. A análise contribuiu para confirmar a classificação de alguns afixos descritos na literatura como palavras fonológicas independentes, à semelhança das bases envolvidas na composição (conf. Schwindt 2000; Bisol, 2004). Trouxemos, ainda, argumentos adicionais para defender igual status prosódico aos sufixos inho e zinho, garantindo a interpretação de alomorfia fonologicamente condicionada (conf. Bisol, 2010).

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.38285

Direitos autorais



E-ISSN: 22388915 / ISSN Impresso: 0102-6267

LICENÇA

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

INDEXADORES

  

     

   

 

           Imagen relacionada

   

Flag Counter