MULHER, QUEBRADEIRA DE COCO, MILITANTE NA AMAZÔNIA: CONSTITUIÇÃO SUBJETIVA E AUTORIA EM SOU FILHA DE QUEBRADEIRA DE COCO BABAÇU

Nilsa Brito Ribeiro, Solange Mittmann

Resumo


Neste artigo, tomamos como objeto de estudo recortes da narrativa de vida de Cledeneuza Maria Bizerra Oliveira, liderança do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), publicada no livro Sou filha de quebradeira de coco babaçu. A fim de discutir a constituição subjetiva de uma mulher amazônida em sua vida de militância, abordamos o próprio da língua em sua equivocidade e realizamos gestos de análise de formulações indicativas de lugares ocupados, posições assumidas e designação de si – como professora, quebradeira de coco babaçu, filha de quebradeira de coco, esposa, líder sindical. Deparamo-nos com um sujeito que transita entre tempos, espaços e territorialidades que caracterizam campos simbólicos onde se produzem os sentidos. E pela autoria observamos a disputa por sentidos na luta política diária, onde não há fronteiras evidentes entre a constituição individual e a construção coletiva.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.105294

Direitos autorais 2021 Organon

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

E-ISSN: 2238-8915 / ISSN Impresso: 0102-6267


LICENÇA

 

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional


APOIO


BASES E INDEXADORES

 

 

 

  Flag Counter