A AMAZÔNIA NO(S) DISCURSO(S) DOS BOIS-BUMBÁS DE PARINTINS

Claudiana Narzetti, Mileny Brandão

Resumo


Neste artigo, apresentam-se resultados parciais de pesquisa em andamento acerca do(s) discurso(s) dos Bois-Bumbás de Parintins, Garantido e Caprichoso, materializado(s) nas letras de suas toadas. Especificamente, faz-se análise discursiva de um recorte do corpus da pesquisa, que consiste em sequências discursivas (versos das toadas) nas quais são empregadas as palavras-chave “floresta” “natureza”, “mata”, “selva”, “Amazônia”. A questão geral é: a acentuada rivalidade entre os dois Bois-Bumbás correlaciona-se a relações de oposição e conflito também no discurso? A questão específica é: qual o discurso deles sobre a floresta? O referencial teórico é o da AD francesa derivada dos trabalhos de Michel Pêcheux. A metodologia da pesquisa é comparativa/contrastiva, seguindo trabalhos pioneiros em AD na França (1960-70). Os resultados indicam que os referidos Bois-Bumbás não apenas sustentam o mesmo discurso sobre a Amazônia, mas também discursivizam os mesmos objetos de discurso.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.104188

Direitos autorais 2021 Organon

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

E-ISSN: 2238-8915 / ISSN Impresso: 0102-6267


LICENÇA

 

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional


APOIO


BASES E INDEXADORES

 

 

 

  Flag Counter