O corpo transparente: dispositivos de visibilidade e mutações do olhar

Ieda Tucherman, Ericson Saint-Clair

Resumo


O texto discute o ideal contemporâneo do corpo transparente, entendido como construção cultural mediada por instrumentos médicos, tecnologias de mídia, convenções artísticas e normas sociais. A partir do conceito foucaultiano de dispositivo, identificamos a busca pela transparência do corpo como sintoma cultural de nossa atualidade em que a perfeição, a maleabilidade e o controle sobre a fisiologia humana vigoram como finalidades. Neste contexto, a profusão de imagens corporais que obtemos por meio de PET-scanners e ressonâncias magnéticas amplia o escopo da virtualidade, alterando nossas concepções de corpo, doença e tempo. Do mesmo modo, as explorações espetaculares deste corpo em domínios midiáticos tão distintos quanto séries de TV, filmes e produtos artísticos em geral indicam a necessidade de investigação crítica deste tema, considerando-se uma ampla rede cultural, em que poderes e saberes se entrelaçam na produção de novos modos de subjetivação.

Palavras-chave


Corpo. Transparência. Dispositivo.

Texto completo:

PDF




Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)