Cinzelamento e sexualidade em Films d’amour (1968-89), de Maurice Lemaître

Fábio Raddi Uchôa

Resumo


Com base no conjunto de curtas Films d’amour, realizados por Maurice Lemaître, busca-se questionar seus principais traços narrativos, tendo por foco as questões do cinzelamento e da sexualidade neles existentes. Para tanto, parte-se do debate teórico das dimensões fílmicas, extrafílmicas e líricas do cinzelamento, bem como da sexualidade no contexto da vanguarda letrista. Em um segundo momento, os filmes são abordados por uma descrição comentada, atenta às questões-chave anunciadas, bem como às contraposições letristas aos padrões hegemônicos de sexualidade próprios ao cinema clássico e ao pornô. Por fim, identifica-se a existência de uma sexualidade particular, associada ao lirismo e também às tensões entre a liberdade visual e a racionalização dos elementos sonoros/escritos. Entre os desdobramentos, quanto às teorias sobre a construção da sexualidade no cinema, defende-se que Films d’amour terá um campo conceitual propício, a partir de autores como Laura Mulvey, Mary Ann Doane e Yann Lardeau que, nos anos 70, desconfiavam do prazer visual e da sexualidade, herdeiros do naturalismo clássico e da fragmentação do pornô.


Palavras-chave


Cinema de vanguarda. Letrismo. Cinzelamento. Sexualidade. Maurice Lemaître.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-858320190.121-145



Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)