De qual muçulmano estamos falando? Ancoragem e objetivação na representação do islamita pela revista Istoé

André Melo Mendes, Raquel Dornelas

Resumo


O artigo busca entender como os muçulmanos foram representados pelas páginas da revista semanal Istoé, na ocasião dos atentados terroristas, na França, em janeiro e em novembro de 2015. Para isso, foram trabalhadas as noções de ancoragem e objetivação, entendendo-as como partes centrais da Teoria da Representação Social, de Serge Moscovici. Ao operacionalizar tais conceitos, utilizamos como ferramental uma análise imagética e textual, assim percebendo como o ato de representação demonstra outros aspectos da nossa própria sociedade e como a narrativa pesquisada problematiza a própria prática da imprensa. O artigo conclui que as duas edições do periódico jornalístico representaram os muçulmanos sob três categorias: o bem-sucedido, a vítima e o terrorista – sendo esse último concretizado na figura do membro do Estado Islâmico.


Palavras-chave


Representação Social. Ancoragem. Objetivação. Muçulmano. Terrorismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201944.28-56



Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)