Imaginários de vida na paisagem atual de destruição generalizada

Autores

  • María Noel Lapoujade Universidad Nacional Autónoma de México

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583201740.152-164

Palavras-chave:

Imaginação. Imaginários. Devir. Filosofia interdisciplinar. Relações gasosas.

Resumo

O propósito deste artigo é mostrar o papel da imaginação, das imagens e dos imaginários através dos meios eletrônicos como possíveis propostas em direção à vida livre e digna no marco dos tempos em que se vive de ódios destrutivos de absurda irracionalidade. O fio condutor é a noção de devir ao longo da história desde 3000 anos atrás, passando pela modernidade, pela pós-modernidade, por depois da pós-modernidade, e pelos dias atuais de 2017. A partir de minha perspectiva da Filosofia da Imaginação, das Imagens e dos Imaginários, proponho um enfoque interdisciplinar que mistura a filosofia com a física e a arte. Com base nisso tudo, introduzo a tese do estado atual “gasoso” das culturas, das sociedades e da vida humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

María Noel Lapoujade, Universidad Nacional Autónoma de México

Doctora en Filosofía, Universidad Nacional Autónoma de México, Ciudad de México, DF, México

Publicado

2017-08-25

Como Citar

Lapoujade, M. N. “Imaginários De Vida Na Paisagem Atual De destruição Generalizada”. Intexto, nº 40, agosto de 2017, p. 152-64, doi:10.19132/1807-8583201740.152-164.

Edição

Seção

Artigos