O arcaico e o contemporâneo em sense8: representações arquetípicas da diversidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583201740.77-95

Palavras-chave:

Teoria Geral do Imaginário. Sociedade. Mito. Série Sense8. Mitocrítica.

Resumo

A série sense8 faz da representação da diversidade um dos pontos centrais do imaginário que compartilha com a audiência, o que estimula a discussão sobre os estereótipos e estigmas na composição sociológica e psicológica de personagens ficcionais e também na sociedade contemporânea. Do ponto de vista comunicacional, uma questão relevante que surge com a popularidade da série é identificar a quais elementos simbólicos ela recorre em sua construção de uma narrativa sobre a diversidade, estereótipos e estigmas. Este estudo busca responder a essa questão a partir das perspectivas propostas na teoria geral do imaginário (Durand), como a de que as produções culturais e a sociedade são permanentemente orientadas (e desorientadas) por mitos fundadores. O objetivo é identificar rastros de narrativas mitológicas em sense8 e entender de que forma eles se relacionam com os temas e personagens na construção dos sentidos da série. O método utilizado é o da mitocrítica (Durand) e os resultados mostram como os elementos simbólicos mais redundantes na primeira temporada estabelecem correlações arquetípicas principalmente com os mitos gregos de Dionísio e do Andrógino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sílvio Antonio Luiz Anaz, Universidade de São Paulo

Pós-doutorando em Meios e Processos Audiovisuais na Escola de Comunicações e Artes da USP

Downloads

Publicado

2017-08-25

Como Citar

Anaz, S. A. L. “O Arcaico E O contemporâneo Em sense8: Representações arquetípicas Da Diversidade”. Intexto, nº 40, agosto de 2017, p. 77-95, doi:10.19132/1807-8583201740.77-95.

Edição

Seção

Artigos