O ethos do repórter de TV da Rede Globo

Marcia Benetti, Débora Lapa Gadret

Resumo


O artigo analisa os elementos instituintes das imagens de si de repórteres de televisão da Rede Globo, maior emissora do Brasil. A partir do conceito de ethos discursivo, discutimos como o discurso autorreferente afirma a identidade do jornalista e certos efeitos de verdade a respeito da reportagem. Por meio da análise do discurso de cinco entrevistas de repórteres da Rede Globo concedidas à também jornalista Fátima Bernardes, propomos que o ethos do repórter constrói-se em três dimensões: os atributos do “bom jornalista”, as características do “bom repórter” e as particularidades de pertencimento ao campo jornalístico. Como articuladores do ethos, os valores morais e os aspectos relacionados às rotinas profissionais convocam a audiência a se conectar com certas definições sobre o jornalismo.

Palavras-chave


Jornalismo. Telejornalismo. Ethos. Repórter. Discurso.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201739.60-79



Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)