Mulheres nos especiais Bah!: identidade gaúcha e representação feminina

Autores

  • Mariana Nogueira Henriques Universidade Federal de Santa Maria
  • Flavi Ferreira Lisbôa Filho Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583201739.80-102

Palavras-chave:

Estudos culturais. Gênero. Representação.

Resumo

O trabalho busca analisar de que forma a identidade feminina é representada na RBS TV, com base no discurso enunciado pelos programas televisivos Bah! Um programa muito gaúcho e Bah! Eu sou do Sul. A partir de uma análise cultural, tendo como operador analítico o circuito da cultura de Johnson, busca-se relacionar como se dá a presença e a representação das mulheres em um contexto tradicionalista.  Observa-se que o programa, ao mesmo tempo em que rompe com a premissa da subordinação feminina, evidencia o estereótipo mais difundido do gaúcho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Nogueira Henriques, Universidade Federal de Santa Maria

Mestre em Comunicação, linha de Mídia e Identidades contemporâneas pelo Pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria. Bacharel em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Maria. Integrante do grupo de pesquisa Estudos Culturais e Audiovisualidades. Tem experiências em pesquisas na área dos Estudos Culturais, representação, gênero, identidade feminina e gauchidade.

Flavi Ferreira Lisbôa Filho, Universidade Federal de Santa Maria

Doutor em Ciências da Comunicação, área de processos midiáticos, linha ?mídias e processos audiovisuais?, pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Mestre em Engenharia da Produção, Bacharel em Ciências Administrativas e em Comunicação Social ? habilitação em Relações Públicas pela Universidade Federal de Santa Maria. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação, do Programa de Pós-Graduação em Patrimônio Cultural e do Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria. Editor do periódico "Cadernos de Comunicação". Membro do Conselho Editorial / Revisor / Parecerista dos periódicos Opción, InTexto, Animus, Polintea, Sociais e Humanas, Revista Brasileira de História da Mídia, Unifebe, Diversa e Revista Experimental do Curso de Comunicação Social - Produção Editorial. Autor (et al.) do livro "Birô de Empreendedorismo Cultural: gestão e produção cultural" (2015). Organizador dos livros: "Novos media, novos públicos" (2015); "Conectando saberes: experiências de comunicação e cultura nas comunidades indígenas de Santa Maria" (2015); "Histórias e reflexões da publicidade e propaganda e da comunicação institucional" (2015); "Rádio: sociedade, fronteiras e educação" (2013); "Histórias da mídia: campos da publicidade e da comunicação institucional" (2013); "Identidades Midiáticas" (2012) e "Estratégias Midiáticas" (2012). Pesquisador líder do Grupo de Pesquisa Estudos culturais e audiovisualidades. Consultor Ad Hoc do PROEXT/MEC. Avaliador INEP/MEC. Tem experiência no desenvolvimento de projetos de pesquisa e extensão na área de Comunicação. (Texto informado pelo autor)

Downloads

Publicado

2017-05-23

Como Citar

Henriques, M. N., e F. F. Lisbôa Filho. “Mulheres Nos Especiais Bah!: Identidade Gaúcha E representação Feminina”. Intexto, nº 39, maio de 2017, p. 80-102, doi:10.19132/1807-8583201739.80-102.

Edição

Seção

Artigos