Reflexões: os sentidos sociais da programação

Elizabeth Bastos Duarte

Resumo


O presente trabalho propõe desenvolver uma reflexão sobre o modo de funcionamento, além de lógicas e funções que presidem a organização das grades de programação das emissoras generalistas, examinando com especial atenção as transformações pelas quais vem passando a programação da Rede Globo de Televisão (RGT), com a finalidade expressa de levantar hipóteses, a serem confirmadas em pesquisa posterior, que possibilitem uma melhor compreensão dos sentidos e das razões que norteiam as alterações em curso. Nessa perspectiva, procura analisar os investimentos feitos pela emissora na produção ficcional, nos remakes e, principalmente, nos programas de auditório, visto que atualmente a RGT coloca no ar, semanalmente, mais de 12 programas, ligados a esse subgênero televisual. Os apontamentos finais procuram apresentar justificativas para essas alterações.

Palavras-chave


Grade de programação. Princípios de organização. Sentidos das alterações.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1807-8583201533.28-45



Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)