Da máquina dos Lumière ao nascimento de uma arte: os primeiros passos do cinema mapeados em coletânea francesa

Danielle Crepaldi Carvalho

Resumo


Como nenhuma outra arte, o cinema teve, logo em seus primeiros tempos, o ensejo de ser mapeado criticamente. A crítica começou como ele, menina e claudicante. Experimentou-o com os sentidos à flor da pele, forjando, a partir da experiência, um gesto interpretativo em que o esforço analítico mal conseguia esconder o misto de empolgação e assombro que a acometia diante da tela de projeção.

Resenha da coletânea em língua francesa “Le cinéma: Naissance d’un art. Premiers écrits (1895-1920)”, organizada por Daniel Banda e José Moure, compilação de artigos sobre o cinema dos primeiros tempos publicados em países como Estados Unidos, Inglaterra, Espanha, México, França, Alemanha, Rússia e Dinamarca.

Palavras-chave


Cinema. Cinema Silencioso. Crítica Cinematográfica.

Texto completo:

PDF




Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)