A pluralidade do mundo na visão singular do correspondente internacional

Zélia Leal Adghirni

Resumo


O tema aqui apresentado pode ser definido como uma reflexão entre teoria e práxis sobre o modo de fazer jornalismo internacional pelos correspondentes brasileiros ligados a grandes estruturas de mídia. Nosso objetivo é cruzar a pluralidade do mundo das notícias com a leitura singular do presente narrado por jornalistas expatriados por razões profissionais, como correspondentes ou enviados especiais, trabalhando em condições legitimadas pelas empresas a quem prestam serviços exclusivos de notícias. Salientamos a importância do correspondente a partir do conceito de singularidade considerado por Adelmo Genro Filho (1987) como a matéria prima do jornalismo. Para estudar esse conceito, entrevistamos correspondentes, bem como as falas desses profissionais publicadas em livros e jornais.

Palavras-chave


Jornalismo Internacional. Correspondente. Singularidade Jornalística.

Texto completo:

PDF




Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)