Mídia educativa ou educação midiática: os tortuosos caminhos da cidadania

Manuela Barros, Erotilde Honório

Resumo


O presente trabalho é norteado por duas questões: É possível as práticas midiáticas da atualidade serem mediadoras de ações educativas? Poderiam os processos educativos encontrarem espaço de atuação na mídia? Para refletir sobre essas questões, parte-se do pressuposto de que a mídia é uma fonte de ampliação da experiência humana, e ao sê-lo, medeia a compreensão que temos do mundo e de nós mesmos. No entanto, essa fonte alimentadora do caudal socio-cultural dos indivíduos pouco tem contribuído para a inserção do homem na vida social de forma responsável, crítica e cidadã. Esse comprometimento não ocorre, possivelmente, pelo desconhecimento dos indivíduos dos saberes que compõem a cultura midiática e seus mútuos desdobramentos nas culturas eruditas e populares. Para trilhar os caminhos que unem as práticas educativas às midiáticas, faz-se necessário, então, interpenetrar saberes diversos, contemplando o resultado das possíveis combinações dessas tradições historicamente em marcha, em distintos tempos e espaços. Assim, a necessidade de edificação de uma sociedade cidadã exige a construção de uma ponte que ao unir essas duas instâncias de compreensão do mundo – a midiática e a educacional –desenvolva um contexto de referência que dê sentido às diferentes práticas culturais da vida cotidiana.


Palavras-chave


Mídia educativa. Educação midiática. Cidadania.

Texto completo:

PDF




Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)