Enquadramentos lúdico-dramáticos no jornalismo: mapas culturais para organizar conflitos políticos

Luiz Gonzaga Motta

Resumo


Enquadramentos não são produzidos pelos jornalistas, mas recolhidos por eles da experiência e cultura humanas. Compartidos pelo narrador e leitores, servem para organizar a complexa realidade e estabilizar a “situação de comunicação”. O jornalismo político tende a utilizar enquadramentos dramáticos (narrativos) e lúdicos (metáfora de jogos) enraizados no imaginário da sociedade, porque eles dispõem os conflitos políticos e são facilmente reconhecidos. Os enquadramentos dramáticos são bipolares, instauram ou amplificam hostilidades verbais típicas do jogo político.


Palavras-chave


Enquadramento. Jornalismo. Política.

Texto completo:

PDF




Intexto | E-ISSN 1807-8583 | Facebook | Google Scholar 

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 sala 519 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: Intexto @ufrgs.br

Membro Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária DORA (San Francisco Declaration on Research Assessment)