A TRAJETÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA NO CONTEXTO ECONÔMICO

Autores

  • ANDRÉA MARIA DE MELO COUTO DE OLIVEIRA Centro Universitário Augusto Motta, UNISUAM
  • Patricia Maria Dusek Centro Universitário Augusto Motta. Av. Paris, 84 - Bonsucesso, Rio de Janeiro - RJ, Brasil. CEP: 21041-020. http://orcid.org/0000-0003-3911-6943
  • Kátia Eliane Santos Avelar Centro Universitário Augusto Motta. Av. Paris, 84 - Bonsucesso, Rio de Janeiro - RJ, Brasil. CEP: 21041-020. http://orcid.org/0000-0002-7883-9442

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol35n22019.91228

Palavras-chave:

Economia, Sociedade, Desenvolvimento, Educação.

Resumo

O estudo apresenta uma breve retrospectiva da educação brasileira, no contexto econômico, ponderando as transformações educacionais e reflexo de alguns acontecimentos históricos sobre a conjuntura atual da educação. Traçou-se um paralelo entre a (re)construção das teorias econômicas e sua (des)preocupação em superar as desigualdades. Questiona-se a aplicabilidade e consequências da Emenda Constitucional 95/2016 (teto de gastos públicos) em contraponto às demandas sociais, em especial, a educação e o cumprimento das metas estabelecidas pelo Plano Nacional de Educação (PNE) 2014-2024.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

ANDRÉA MARIA DE MELO COUTO DE OLIVEIRA, Centro Universitário Augusto Motta, UNISUAM

Graduada em Matemática. Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Local do Centro Universitário Augusto Motta, UNISUAM. Endereço: Av. Paris, 84 - Bonsucesso, Rio de Janeiro - RJ, Brasil.

Patricia Maria Dusek, Centro Universitário Augusto Motta. Av. Paris, 84 - Bonsucesso, Rio de Janeiro - RJ, Brasil. CEP: 21041-020.

Pós doutora em Justiça Constitucional pela Università di Pisa. Coordenadora e Pesquisadora do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Local do Centro UNISUAM. Endereço: Av. Paris, 84 - Bonsucesso, Rio de Janeiro - RJ, Brasil.

Kátia Eliane Santos Avelar, Centro Universitário Augusto Motta. Av. Paris, 84 - Bonsucesso, Rio de Janeiro - RJ, Brasil. CEP: 21041-020.

Doutora em Ciências. Docente e Pesquisadora do Mestrado em Desenvolvimento Local do Centro Universitário Augusto Motta, UNISUAM. Rio de Janeiro. RJ. Endereço: Av. Paris, 84 - Bonsucesso, Rio de Janeiro - RJ, Brasil. E-mail: katia.avelar@gmail.com.

Referências

AMARAL, N. C. PEC 241/55: a “morte” do pne (2014-2024) e o poder de diminuição dos recursos educacionais. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, set./dez, v. 32, n. 3, p. 653-673, 2016.

AMARAL, N. C. Com a PEC 241/55 (EC 95) haverá prioridade para cumprir as metas do PNE (2014-2024)? Goiânia: Revista Brasileira de Educação, set./dez, v. 22, n. 71, p. 1-25, 2017.

ARBIX, G; LINS, L. M. Educação, qualificação, produtividade e crescimento econômico: a harmonia colocada em questão. In: ANAIS DO I CIRCUITO DE DEBATES ACADÊMICOS. São Paulo: IPEA, 2011.

BRASIL. Constituição de 5 de outubro de 1988. Constituição: República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

_______. Lei nº 13.005 de 15 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) 2014-2024. Brasília: Câmara dos Deputados. 2014.

______ . Emenda Constitucional 95 de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal. Brasília: Câmara dos Deputados. 2016.

BECKER, K. L.; KASSOUF, A. L. Uma análise do efeito dos gastos públicos em educação sobre a criminalidade no Brasil. Economia e Sociedade: Campinas, v. 26, n. 1(59), p. 215-242, 2017.

BRESSER-PEREIRA, L. C. O conceito histórico de desenvolvimento econômico. São Paulo: EESP/FGV, dez. 2006. Versão 2008.

BENDRATH. E. A.; GOMES, A. A. Educação e economia: a (re) construção histórica a partir do pós-guerra. Campinas: Revista HISTEDB, On-line, Campinas, n. 44, p. 92-106. 2011. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/44/art07_44.pdf. Acesso em: 17 set. 2018.

CUNHA, L. A. O legado da ditadura para a educação brasileira. Cedes: Campinas: Unicamp, v. 35, n. 127, p. 357-377, 2014.

DUARTE, R. H. Poluição atmosférica e modelo de desenvolvimento no “milagre” brasileiro (1967-1973). Rio de Janeiro: Revista Tempo, v. 21, n. 37, p. 64-87, 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Síntese de indicadores sociais 2013: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2013.

________ . Um quarto da população vive com menos de R$ 387 por mês. Rio de Janeiro: Ed. Estatísticas Sociais, 2017. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/18825-um-quarto-da-populacao-vive-com-menos-de-r-387-por-mes. Acesso em: 18 set. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). O mapa do Analfabetismo no Brasil. Brasília: INEP. 2003. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/documents/186968/485745/Mapa+do+analfabetismo+no+Brasil/a53ac9ee-c0c0-4727-b216-035c65c45e1b?version=1.3. Acesso em: 06 jun. 2017

KANG, T. Descentralização e financiamento da educação brasileira: uma análise comparativa,1930-1964. Revista Estudos Econômicos, v. 41, n. 3, jul-set, p. 573-598, 2011.

LEME, A. A. Neoliberalismo, globalização e reformas do estado: reflexões acerca da temática. Barbarói. Santa Cruz do Sul, n. 32, jan./jul, p. 114-138, 2010.

MORAES, A. C. et al. O capital financeiro: da gênese à crise contemporânea. Pesquisa & Debate, SP, v. 25, n. 2(46), p. 69-89, jul-dez. 2014.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2011

ORGANIZAÇÃO DE COOPERAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). Brasil em Education at a Glance 2015: Indicadores da OCDE, 2015. Disponível em:<2015

https://www.oecd.org/brazil/Education-at-a-glance-2015-Brazil-in-Portuguese.pdf >. Acesso em: 24 mai. 2017.

PAIVA, A. B.; MESQUITA, A. C. S.; JACCOUD, L.; PASSOS, L. O Novo Regime Fiscal e suas implicações para a política de assistência social no Brasil (Nota Técnica). Brasília: IPEA, 2016. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/nota_tecnica/160920_nt_27_disoc.pdf. Acesso em: 16 set. 2018.

PEREIRA, J. M. M. O Banco Mundial e a construção política dos programas de ajustamento estrutural nos anos 1980. São Paulo: ANPUH, 2013.

SANTOS, J. D.; MELO, A. K. D.; LUCEMI, M. Uma breve reflexão retrospectiva da educação brasileira (1960‐2000): implicações contemporâneas. In: IX SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA, SOCIEDADE E EDUCAÇÃO NO BRASIL. João Pessoa: UFP, 2012.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SILVEIRA, G. F.; GOMES, M. M.; LIMA, J. E.; SILVA, J. M. A. Retornos da escolaridade no Brasil e regiões. São Caetano do Sul: Revista. Gestão e Regionalidade, v. 31, n. 91, p. 17-32, 2015.

SINGER, P. Globalização e desemprego: diagnóstico e alternativas. São Paulo: Contexto, 2012, p.139

STRASSBURG, U; OLIVEIRA, N. M.; RIPPEL, R. Planejamento da educação brasileira: uma ferramenta para o desenvolvimento. Revista Orbis Latina, v. 5, n. 1, jan-dez, p. 19-37, 2015.

TROMBETTA, S. Educação e Sustentabilidade. REVISEA: Revista Sergipana de Educação Ambiental, São Cristóvão, v. 1, n. 1, p. 24-40, 2014.

VIOLA, S. E. A.; ALBUQUERQUE, P. P. Ditadura e educação: conexões a serem ressignificadas. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 23, n. 2, p.78-96, jul./out, 2015. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/viewFile/6224/pdf_25. Acesso em: 24 jun. 2017.

ZANIRATO, S. H.: ROTONDARO, T. Consumo, um dos dilemas da sustentabilidade. Estudos Avançados, v. 30, n. 88, p. 77-92, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ea/v30n88/0103-4014-ea-30-88-0077.pdf. Acesso em: 17 set. 2018.

Downloads

Publicado

2019-08-27

Como Citar

DE OLIVEIRA, A. M. D. M. C., Dusek, P. M., & Avelar, K. E. S. (2019). A TRAJETÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA NO CONTEXTO ECONÔMICO. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 35(2), 369. https://doi.org/10.21573/vol35n22019.91228