Questões performáticas e dissidentes entre escolas de samba e cabarés artísticos no Rio de Janeiro: reflexões a partir de Talvez?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2236-3254.135422

Resumo

Este artigo tem como objetivo refletir sobre o processo de criação artística como um modo de elaboração de performatividades de gênero dissidentes. Para isso, é elaborada uma cartografia do processo de produção de Talvez?, uma série artística autoral formada por trabalhos em diferentes linguagens. Primeiramente, discute-se a potência destrutiva e criativa presente no samba e a sua ativação em âmbitos sociais e culturais. Em seguida, é analisada a construção do enredo Testemunho de um eterno amante, o primeiro ato da série em questão, e o que ele reverbera como criação de performatividade de gênero. Por meio de uma aproximação com a linguagem do cabaré advinda do contato com o álbum audiovisual Orgia, de Johnny Hooker, discute-se as afinidades entre os modos de burla do corpo presentes nas escolas de samba e nos cabarés artísticos, especialmente no Rio de Janeiro. Finalmente, aponta-se a importância de manter ativa a potência transgressora engendrada nesses territórios e de praticá-la na construção de modos plurais de ser e de estar no mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2024-01-22

Como Citar

França de Almeida, C. (2024). Questões performáticas e dissidentes entre escolas de samba e cabarés artísticos no Rio de Janeiro: reflexões a partir de Talvez?. Cena, 42(1), 01–13. https://doi.org/10.22456/2236-3254.135422