Violência de gênero, ditadura militar brasileira e testemunho em <i>O corpo interminável</i>, de Cláudia Lage

Autores

  • Fabíola Simão Padilha Trefzger Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.22456/2236-6385.128399

Resumo

Leitura do romance O corpo interminável (2019), de Cláudia Lage, com o objetivo de discutir a violência de gênero praticada pela ditadura militar brasileira – eixo temático que estrutura a obra –, considerando a modalidade de testemunho aí observada. Ao ficcionalizar o impacto e as consequências dos acontecimentos nefastos na vida das mulheres militantes, o romance cumpriria aí o papel de “testemunha solidária”, na contrariedade das políticas de esquecimento que estorvam a tentativa de manutenção da memória do horror. Buscarei evidenciar ainda a maneira como o romance de Lage incorpora, na sua construção formal, a experiência de militantes que atuaram contra a repressão e sofreram, em decorrência disso, graus inimagináveis e intoleráveis de violência de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-07-17

Como Citar

TREFZGER, F. S. P. Violência de gênero, ditadura militar brasileira e testemunho em <i>O corpo interminável</i>, de Cláudia Lage. Cadernos do IL, [S. l.], n. 64, p. 137–153, 2023. DOI: 10.22456/2236-6385.128399. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/cadernosdoil/article/view/128399. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos de estudos literários