As canções do exílio e a resistência à ditadura militar em <i>Rio-Paris-Rio</i>, de Luciana Hidalgo

Autores

  • Flávia Dall Agnol de Oliveira UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.22456/2236-6385.127866

Resumo

Busca-se verificar a forma que a experiência do exílio na França, motivada pela ditadura militar, se constrói no romance Rio-Paris-Rio. Pretende-se relacionar o papel de canções da MPB mencionadas ao longo do enredo com a experiência no exílio da protagonista. A análise também se volta para os demais estudantes exilados, tomando como pano de fundo o fatídico ano de 1968 no contexto político e cultural do Ocidente. Compreende-se que, na mesma medida em que não obtiveram êxito em se desprender das atrocidades e da truculência do autoritarismo cometidos em sua terra natal, os jovens exilados que protagonizam o romance também encontraram múltiplas formas de resistência, recusando a submissão aos ditames de um sistema conservador e repressivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-07-17

Como Citar

OLIVEIRA, F. D. A. de. As canções do exílio e a resistência à ditadura militar em <i>Rio-Paris-Rio</i>, de Luciana Hidalgo. Cadernos do IL, [S. l.], n. 64, p. 59–84, 2023. DOI: 10.22456/2236-6385.127866. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/cadernosdoil/article/view/127866. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos de estudos literários