A Balneabilidade da Praia do Lami - Porto Alegre/RS no período de 1993 a 2012

Autores

  • Nanashara D'Ávila SANCHES Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências.
  • Luis Alberto BASSO Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências, Departamento de Geografia.

Palavras-chave:

Análise Ambiental, Praia do Lami, balneabilidade, Resolução nº274/2000 do CONAMA.

Resumo

A praia do Lami, localizada no Município de Porto Alegre, é um balneário utilizado por pescadores e banhistas, e constitui um sistema natural vulnerável a alterações causadas por diversas atividades humanas. Por isso, este artigo teve como objetivo analisar os dados sobre a balneabilidade da praia do Lami, através de coletas de água feitas periodicamente pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto de Porto Alegre (DMAE) entre os anos de 1993 e 2012. Estes dados foram analisados em consonância à Resolução nº 274/2000 do CONAMA e interpretados através de tabelas, gráficos e um cartograma, para que se verificasse a variabilidade espaço-temporal da balneabilidade praia do Lami. Considerando, além dos dados referentes à balneabilidade, as características geográficas e socioeconômicas do bairro Lami, constatou-se que o aumento da população do bairro não foi acompanhado pelo aumento da rede de esgotos e água, serviços municipais básicos para a qualidade de vida da população local. O ponto que apresentou maiores valores de coliformes fecais foi o próximo à jusante do arroio Manecão. Em relação à sazonalidade das condições de balneabilidade, observou-se que ocorre aumento das concentrações de coliformes fecais termotolerantes nos meses de dezembro e janeiro. Após esse período, a concentração diminui progressivamente até o mês de março. Verificou-se que 9,7% do total de amostras analisadas em todo período de estudo foram consideradas impróprias para o banho e que as possíveis fontes de poluição da praia do Lami podem ser pontuais (lançamentos de esgotos e dejetos de animais) e difusas (escoamento superficial).

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nanashara D'Ávila SANCHES, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências.

Possui graduação em Bacharelado em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013) e graduação em Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009). Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Física e Geografia Urbana.

Luis Alberto BASSO, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências, Departamento de Geografia.

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1985), mestrado em Ordenação Rural Em Função do Meio Ambiente pelo Instituto Agronômico Mediterrâneo de Zaragoza, Espanha (1989) e doutorado em Geografia Fisica e Ordenação do Territorio Marco C - Universidad de Zaragoza, Espanha (1994). Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geografia Física, atuando principalmente nos seguintes temas: bacia hidrográfica, qualidade de águas, aguas superficiais, degradação ambiental e impacto ambiental.

Downloads

Publicado

2013-11-22