O imaginário territorial na Antártica

Autores

  • Rogério Madruga GANDRA Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

continente antártico, território, Tratado da Antártica, geopolítica

Resumo

Ao se abordar a questão do território, enquanto uma categoria de análise, se imerge em um universo de teorias no qual, ao mesmo tempo em que se elaboram novos conceitos/categorias, se desmistificam antigos referenciais teóricos.

Em outras palavras, se outrora as teorias territoriais pareciam comungar com o tradicional conceito de que o território pressupõe a mobilização de um determinado grupo para defender o seu espaço, agora as conjecturas territoriais assumem novas variáveis, chegando-se a colocar em xeque a própria existência ou reprodução do território (BADIE, 1995).

É dentro desse contexto de (re)estruturação conceitual, sobre o que vem a ser território, que o presente artigo irá focalizar indícios e/ou evidências de uma produção ou reprodução territorial no chamado continente antártico.

É provável que se encontre na geopolítica antártica mundial, instrumentalizada e legitimada pelo Tradado da Antártica, a chave para “elucidar" essa questão. Entretanto, caberá ao leitor, à medida que for se aprofundando no artigo supracitado, tecer suas próprias considerações; ou seja, a concepção territorial é compatível com a dinâmica político-espacial do continente antártico?

Considerando-se que a própria categoria territorial, por si só, já pressupõe uma categoria espacial, é provável que sim... Ou será que não...?

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Madruga GANDRA, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Doutorando em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Humana e Geopolítica das Regiões Polares, em especial Geopolítica Antártica. Linha de pesquisa: análise ambiental e territorial.

Downloads