CONDOMÍNIOS FECHADOS E FRAGMENTAÇÃO SOCIOESPACIAL EM FORTALEZA

Autores

Palavras-chave:

Fragmentação socioespacial, Condomínios fechados, Mercado imobiliário, Fortaleza

Resumo

Neste artigo analisamos o processo de fragmentação socioespacial de Fortaleza, intensificado com a introdução dos condomínios fechados. Tal modelo residencial assumiu, nas últimas duas décadas, um papel relevante no deslocamento territorial dos investimentos imobiliários da Cidade. Concentrados, principalmente, nas porções sul e sudeste, esses condomínios dividem espaço com habitações precárias e conformam paisagens descontínuas do ponto de vista socioeconômico. Diante disso e a partir da compreensão de que essa não é uma realidade particular de Fortaleza, apresentamos um conjunto de informações – obtidas a partir de bases de dados de órgãos oficiais e de levantamento e análise espacial feita com softwares de geoprocessamento – que possam pormenorizar esse processo de fragmentação socioespacial, discutido também a partir de revisão bibliográfica. Com isso, foi possível demonstrar um efeito socioeconômico polarizante novo para Fortaleza, situação em que se tem grande quantidade de pessoas nos dois extremos da escala de renda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Adriana Martins dos Santos, Universidade Estadual do Ceará

Doutora em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará. Compõe o Laboratório de Estudos Urbanos e da Cidade - LEURC. Professora efetiva do ensino básico do estado do Ceará.

Downloads

Publicado

2022-06-21

Edição

Seção

Artigos