VELHICE NO OLHAR DOS ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM, DIREITO E PEDAGOGIA

Autores

  • Simone Oliveira Ferreira Universidade Estadual de Santa Cruz, Departamento de Ciências da Saúde. Rodovia Ilhéus -Itabuna,Km 16 Salobrinho 45650-000 - Ilheus, BA - Brasil
  • Andréa Evangelista Lavinsky Universidade Estadual de Santa Cruz, Departamento de Ciências da Saúde. Rodovia Ilhéus -Itabuna,Km 16 Salobrinho 45650-000 - Ilheus, BA - Brasil
  • Talita Machado Levi Universidade Estadual de Santa Cruz, Departamento de Ciências da Saúde. Rodovia Ilhéus -Itabuna,Km 16 Salobrinho 45650-000 - Ilheus, BA - Brasil
  • Raimunda Silva D'Alencar Universidade Estadual de Santa Cruz, Departamento de Ciências da Saúde. Rodovia Ilhéus -Itabuna,Km 16 Salobrinho 45650-000 - Ilheus, BA - Brasil

DOI:

https://doi.org/10.22456/2316-2171.73862

Palavras-chave:

Velhice. Representação social. Estudos Universitários.

Resumo

Este estudo propõe analisar os significados da velhice atribuídos por 
acadêmicos da Universidade Estadual de Santa Cruz, considerando a importância dessa temática, visto que a velhice faz parte do processo de evolução humana e esta tem se tornado um fenômeno global. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada no período de 2014 a 2016 por meio de entrevista semiestruturada, que contou com a  participação de vinte e dois acadêmicos dos cursos de Enfermagem, Pedagogia e Direito. Os dados analisados revelaram que a maioria dos acadêmicos apresenta uma maneira singular de entender a velhice. As expectativas estão voltadas para uma vida longeva, um envelhecimento ativo e pautado no respeito. O fato de envelhecer não vem expresso nas falas como algo negativo, mas foram direcionadas preocupações para uma velhice não compartilhada, com ausência do núcleo familiar e a falta de mecanismos na sociedade que garantam de forma efetiva os direitos dos idosos. Apesar das significações e representações positivas no que se refere à velhice, percebeu-se em alguns relatos a falta de proximidade com essa fase. Esta pesquisa mostrou a necessidade de se discutir enquanto sociedade sobre as questões que envolvem os idosos, assim como sobre o preparo do envelhecimento enquanto pessoa que também está envelhecendo, haja vista os reflexos para uma sociedade de idosos, que já é uma realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Oliveira Ferreira, Universidade Estadual de Santa Cruz, Departamento de Ciências da Saúde. Rodovia Ilhéus -Itabuna,Km 16 Salobrinho 45650-000 - Ilheus, BA - Brasil

Bacharela em Enfermagem pela Universidade Estadual de Santa Cruz. Participou como bolsista do Programa de Iniciação Cientifica da FAPESB  desenvolvendo estudos na linha de pesquisa intitulado: Significado da velhice para acadêmicos da UESC.

Andréa Evangelista Lavinsky, Universidade Estadual de Santa Cruz, Departamento de Ciências da Saúde. Rodovia Ilhéus -Itabuna,Km 16 Salobrinho 45650-000 - Ilheus, BA - Brasil

Bacharel em Enfermagem pela Universidade Estadual de Santa Cruz.Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia. Professora  assistente do quadro permanente da Universidade Estadual de Santa Cruz- UESC. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Adulto e Idoso, atuando principalmente nos seguintes temas: idosos, Qualidade de Vida, Acidente Vascular Encefálico (AVE), familiares cuidadores, domicílio, Enfermagem e Sistematização da Assistência de Enfermagem.

Talita Machado Levi, Universidade Estadual de Santa Cruz, Departamento de Ciências da Saúde. Rodovia Ilhéus -Itabuna,Km 16 Salobrinho 45650-000 - Ilheus, BA - Brasil

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual de Santa Cruz. Mestre em Medicina e Saúde Humana. Especialista em Auditoria de Sistemas de Saude, Doutora em Medicina e Saúde Humana. Professora assistente do quadro permanente da Universidade Estadual de Santa Cruz.

Raimunda Silva D'Alencar, Universidade Estadual de Santa Cruz, Departamento de Ciências da Saúde. Rodovia Ilhéus -Itabuna,Km 16 Salobrinho 45650-000 - Ilheus, BA - Brasil

Licenciatura em Filosofia pela Federação das Escolas Superiores de Ilhéus e Itabuna e mestra em Sociologia Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora Assistente da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Coordena o Núcleo de Estudos do Envelhecimento da UESC, vinculado ao Departamento de Filosofia e Ciências Humanas. É coordenadora Editorial da Revista Memorialidades, de periodicidade semestral, publicada pela UESC/EDITUS. Integra a equipe diretora da Associação Brasileira de Universidades Abertas à Terceira Idade.

Referências

BAPTISTA, Bruna Olegário et al. A sobrecarga do familiar cuidador no âmbito domiciliar: uma revisão integrativa da literatura. Rev. Gaúcha Enfermagem. Porto Alegre (RS), v.33 (1), p. 147-56, mar. 2012.

Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472012000100020>. Acesso em: 07 dez. 2016.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. 5 ed. Tradução: Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, p. 281.2009.

BRANDÃO, Vera. Viver bem para longeviver melhor. Revista portal de Divulgação. São Paulo, v.34, jul. 2013. Disponível em:. Acesso em: 07 dez. 2016.

BRASIL. Envelhecimento ativo: um marco político em resposta à revolução da longevidade. Centro internacional de longevidade Brasil. 1ª edição. Rio de Janeiro (RJ), Jul. 2015.

Disponível em: <http://ilcbrazil.org/portugues/noticias/active-ageing-a-policy-framework-in-response-to-the-longevity-revolution/>. Acesso em: 07 dez. 2016.

CALDAS, Célia Pereira et al. A velhice no olhar do outro: uma perspectiva do jovem sobre o que é ser velho. Revista Kairós Gerontologia. São Paulo, v.13 (2), p.75-89, nov. 2010.

Disponível em:<http://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/5367/3847>. Acesso em: 07 dez. 2016.

CARNEIRO, Roberto et al. O envelhecimento da população: dependência, ativação e qualidade. Lisboa, 31 de Agosto de 2012.

Disponível em:

<http://www.qren.pt/np4/np4/?newsId=1334&fileName=envelhecimento_populacao.pdf>. Acesso em: 15 dez. 2016.

CÔRTE, Beltrina et al. Coragem para longeviver. Revista portal de Divulgação. São Paulo, v. 34, Ano III, jul. 2013. ISSN 2178-3454.

Disponível em:

<http://www.portaldoenvelhecimento.com/revista-nova/index.php/revistaportal/article/view/1/1>. Acesso em: 15 dez. 2016.

CORRÊA, Letícia Rocha et al. O grupo operativo e a promoção de saúde mental para idosos. Revista Saúde e Desenvolvimento. São Paulo, v.3 (2). jan/jun. 2013.

Disponível em:

<http://www.uninter.com/revistasaude/index.php/saudeDesenvolvimento/article/view/162> Acesso em: 15 dez. 2016.

FERREIRA, Olívia Galvão Lucena et al. Envelhecimento ativo e sua relação com a independência funcional. Texto Contexto Enfermagem. Florianópolis, v. 21(3), p. 513-8, Jul-Set. 2012.

Disponível em:

<http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010407072012000300004&script=sci_abstract&tlng=pt/>. Acesso em: 15 dez. 2016.

FREITAS, Maria Célia de et al. O significado da velhice e da experiência de envelhecer para os idosos. Rev Esc Enferm, v.44(2), p.407-12, USP. 2010. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n2/24.pdf>. Acesso em: 15 dez. 2016.

FREITAS, Patrícia da Conceição Barbosa de et al. Solidão em idosos: percepção em função da rede social. Veritati- HYPERLINK "http://repositorio.ucp.pt/"Repositório Institucional da Universidade Católica Portuguesa. Junho 2011. Disponível em:<http://hdl.handle.net/10400.14/8364>. Acesso em: 15 dez. 2016.

HEDLER, Helga Cristina et al. Representação social do cuidado e do cuidador familiar do idoso. Rev. Katál. Florianópolis, v. 19(1), p. 143-153, jan-jun. 2016. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141449802016000100143&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 15 dez. 2016.

GOMES, Lucy et al. O velho e a morte. Revista Temática Kairós. Gerontologia. São Paulo, v.15(4), p. 117-132. agos.2012. Disponível em:

< http://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/17040/12646>. Acesso em: 15 dez. 2016.

GOLDENBERG, Mirian. Corpo, envelhecimento e felicidade na cultura brasileira. Revista contemporânea Ed.18. Rio de Janeiro, v.9 (2). 2011. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/contemporanea/article/view/2143>. Acesso em: 15 dez. 2016.

IBGE. Censo Demográfico de 2000. Disponível em Acesso em 05 set. 2010.

MACHADO, Ana Karina da Cruz et al. A exclusão social da pessoa idosa e o despreparo para lidar com o envelhecimento humano. Editora realize - Anais CIEH. Faculdade Mauricio de Nassau, v.2 (1). 2015.

Disponível em:

<http://www.editorarealize.com.br/revistas/cieh/trabalhos/TRABALHO_EV040_MD4_SA15_ID1905_08092015031047.pdf >. Acesso em: 07 fev. 2016.

MEDEIROS, Fabíola de Araújo Leite et al. Visão de acadêmicos de enfermagem em relação ao processo de envelhecimento. Rev Rene. Campina Grande, v.13 (4), p.825-33. 2012.

Disponível em:

<http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/viewFile/1077/pdf>.Acesso em: 20 abr. 2015.

MIRANDA, Gabriella Morais Duarte et al. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. Rio de Janeiro, v. 19 (3), p. 507-519. 2016.

Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v19n3/pt_1809-9823-rbgg-19-03-00507.pdf >. Acesso em: 07 fev. 2016.

MORAIS, Fernando Antônio de Andrade. Respeito aos idosos como valor humano. Revista Científica Semana Acadêmica. Fortaleza, v.1, maio.2015. Disponível em: < https://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/artigo-idosos.pdf>. Acesso em: 17 fev. 2017.

MOTTA, Alda Britto da. A atualidade do conceito de gerações na pesquisa sobre o envelhecimento. Soc. estado. Brasília, vol. 25 (2 ) Maio/Aug. 2010.

Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69922010000200005>. Acesso em: 17fev.

PEREIRA, Jacqueline Mary Monteiro. A escola do riso e do esquecimento: idosos na educação de jovens e adultos. Educação em foco. Juiz de Fora, (MG), v.16 (2), p.213, fev.2012. Disponível em: <http://www.ufjf.br/revistaedufoco/files/2012/08/Texto-014.pdf>. Acesso em: 07 fev. 2016.

ROUGEMONT, Fernanda dos Reis. Da longevidade à velhice. Primeiros Estudos. São Paulo, n.2, p.12-27. 2011.

Disponível em:

< http://www.revistas.usp.br/primeirosestudos/article/view/45943 >. Acesso em: 07 fev. 2016.

ROLIM, Taiane da Cruz et al. Reflexões gerais sobre envelhecimento e sobre direitos garantidos pelo direito brasileiro contemporâneo. Boletim Jurídico, Uberaba/MG, 2014. Disponível em: <http://www.boletimjuridico.com.br/ doutrina/texto.asp?id=3899> Acesso em: 21 fev. 2017.

ROSA, Marília Ceccon Salarini da et al. Envelhecimento ativo: novas perspectivas e oportunidades para o campo do design emocional. Editora Blucher. São Paulo, v.1(4), p. 3336-3346. 2014. Disponível em: <http://www.proceedings.blucher.com.br/article-details/envelhecimento-ativo-novas-perspectivas-e-oportunidades-para-o-campo-do-design-emocional-12912 >. Acesso em: 07 fev. 2016.

SCORTEGAGNA, Paola Andressa et al. Idoso: um novo ator social. Universidade de Caxias do Sul. Seminário de pesquisa em educação da Região Sul. 2012. Disponível em: <http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/1886/73 >. Acesso em: 07 fev. 2016.

SCALSAVARA, Flávia. Educação para o envelhecimento: e as universidades abertas da terceira idade: um espaço de construção do saber. Repositório Institucional da UFSC, Biblioteca Universitária. Florianópolis, mar. 2013.

Disponível em:<https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/104202>. Acesso em: 07 fev. 2016.

SICCO, Juliana de Mattos. Abordagens pedagógicas sobre o envelhecimento: das possibilidades da inserção dos estudos gerontológicos no currículo escola. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Rio Grande do Sul, 2011. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10183/32079>. Acesso em: 07 abril. 2015.

SILVA, Virgínia Arlinda da. Inclusão social e familiar do idoso, uma conjunção possível?. Universidade Federal de Viçosa. Viçosa (MG), 2015.

Disponível em:

<http://proex.pucminas.br/sociedadeinclusiva/Vseminario/Anais_V_Seminario/acessibilidade/comu/INCLUSAO_SOCIAL_E_FAMILIAR_DO_IDOSO_UMA_CONJUCAO_POSSIVEL.pdf>. Acesso em: 07 fev. 2016.

SILVA, Bruna Rodrigues da et al. A velhice como marca da atualidade: uma visão psicanalítica. Periódicos Eletrônicos em Psicologia. São Paulo, v.8 (2), p. 23-30, dez. 2011.

Disponível em:

<http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-24902011000200004>. Acesso em: 07 fev. 2016.

VELOSO, Ana Sofia Tanoeiro. Envelhecimento, saúde e satisfação: efeitos do envelhecimento ativo na qualidade de vida. Dissertação de Mestrado em Gestão e Economia da Saúde. Coimbra, jun.2015.

Disponível em:

<https://estudogeral.sib.uc.pt/bitstream/10316/29711/1/Dissertação%20de%20Mestrado_Ana%20Veloso.pdf >. Acesso em: 07 fev. 2016.

ZANON, Carla Bianca Ferreira Moncaio et al. Como vai a educação gerontológica nas escolas públicas do distrito federal? um estudo com idosos e jovens. Rev. Bras. Geriatria Gerontologia. Rio de Janeiro, v. 14(3), p. 555-566. 2011.

Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v14n3/v14n3a15.pdf>. Acesso em: 07 fev. 2016.

Downloads

Publicado

2018-12-28

Como Citar

Ferreira, S. O., Lavinsky, A. E., Levi, T. M., & D’Alencar, R. S. (2018). VELHICE NO OLHAR DOS ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM, DIREITO E PEDAGOGIA. Estudos Interdisciplinares Sobre O Envelhecimento, 23(3). https://doi.org/10.22456/2316-2171.73862

Edição

Seção

Artigos