O IMPACTO DE UM MANUAL DE ORIENTAÇÕES NA ADESÃO AO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL E QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

Autores

  • Gisele Santana Santos UMC
  • Eduardo Filoni Universidade de Mogi das Cruzes
  • Vera Lucia dos Santos Alves Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.22456/2316-2171.50055

Palavras-chave:

Qualidade de Vida. Adesão à Medicação. Hipertensão. Envelhecimento.

Resumo

O envelhecimento traz aspectos sociais e físicos que devem ser considerados pelos profissionais da saúde para adequar o dia a dia dos pacientes à rotina medicamentosa. A prevalência da hipertensão arterial sistêmica e a necessidade do consumo regular das medicações de controle interferem diretamente na morbimortalidade dos idosos hipertensos e em sua qualidade de vida. Assim, objetivamos avaliar a qualidade de vida e a aderência ao tratamento da hipertensão em idosos, analisando o impacto de um manual de orientações para a rotina medicamentosa em idosos hipertensos institucionalizados e de uma comunidade de um município paulista. Foram incluídos 28 idosos alocados em dois grupos: intervenção (receberam as orientações de um manual para o consumo das medicações) e controle (não receberam orientações adicionais na rotina medicamentosa). Todos foram avaliados e reavaliados após dois meses com o teste de Morisky-Green e os questionários WHOQOL-OLD e BREF, sendo observado o aumento da pontuação da primeira pergunta do primeiro teste e da pontução de alguns domínios do questionário OLD após a reavaliação no grupo intervenção. Por fim, foi possível perceber que houve melhora na qualidade de vida dos idosos após terem recebido as orientações do manual proposto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gisele Santana Santos, UMC

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade de Guarulhos (2006). Atualmente é professor da Universidade de Mogi das Cruzes. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Psiquiátrica, atuando principalmente no seguinte tema: enfermagem, idosos, qualidade de vida.

Eduardo Filoni, Universidade de Mogi das Cruzes

Possui graduação em Fisioterapia pela Universidade Guarulhos, Especialização em Educação na Área de Biociências, Mestre e Doutor em Saúde da Criança e do Adolescente pela UNICAMP. Atualmente é Coordenador do Curso de Fisioterapia e CST de Radiologia da Universidade Mogi das Cruzes (UMC). Atua em Comissões de Câmara de Avaliação, Comissões de Avaliação Institucional, CONSU e CEPE em IES.

Vera Lucia dos Santos Alves, Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo

Graduada em Fisioterapia pela Universidade Federal de São Carlos em 1985. Concluiu o Mestrado em Gerontologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 2003, Doutorado em Ciências da Saúde pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em 2006 e Pós Doutorado no mesmo programa em 2009. Atualmente é Responsável pelo Serviço de Fisioterapia do Hospital Santa Isabel (Unidade Veridiana) da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, Diretora da Unidade de Reabilitação Global, Coordenadora do Curso de Especialização lato sensu "Fisioterapia nas afecções da coluna vertebral" da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Coordenadora do Departamento de Fisioterapia Respiratória da Sociedade Brasileira de Asmáticos, Diretora Executiva do Departamento de Fisioterapia da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, Orientadora dos Programas de Mestrado de Políticas Públicas e Ciências e Tecnologia da Universidade Mogi das Cruzes. Atual Coordenadora do Instituto de Pesquisa Clínica da Santa Casa de São Paulo. É Especialista em Gestão em Saúde pela FGV.

Referências

BASTOS-BARBOSA, Rachel G. et al. Adesão ao tratamento e controle da pressão arterial em idosos com hipertensão. Arquivos Brasileiros Cardiologia, São Paulo, v. 99, n. 1, p. 636-641, jul. 2012.

BLOCH, Katia Vergetti; MELO; André Nascimento de; NOGUEIRA, Armando R. Prevalência da adesão ao tratamento anti-hipertensivo em hipertensos resistentes e validação de três métodos indiretos de avaliação da adesão. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, n. 12, p. 2979-2984, dez. 2008.

BRITO, Fausto. Transição e desigualdades sociais no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 5-26, jan./jun. 2008.

CASTRO, Mauro Silveira; FUCHS, Flávio Danni. Abordagens para aumentar a adesão ao tratamento em pacientes com hipertensão arterial de difícil controle. Revista Brasileira de Hipertensão, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 25-27, mar. 2008.

CIANCIARULLO, Tamara Iwanow. Compreendendo a família no cenário de uma nova estratégia de saúde. In: CIANCIARULLO, Tamara Iwanow et al. (Org.). Saúde na família e na comunidade. São Paulo: Robe Editorial, 2002. p. 17-37.

COTTA, Rosângela Minardi Mitre et al. Perfil sociossanitário e estilo de vida de hipertensos e/ou diabéticos, usuários do Programa de Saúde da Família no município de Teixeiras, MG. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 4, p. 1251-1260, jul./ago. 2009.

FLECK, Marcelo Pio de Almeida et al. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-bref”. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 178-183, abr. 2000.

______. Development and validation of the Portuguese version of the WHOQOL-OLD module. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 40, n. 5, p. 785-791, out. 2006.

GUSMÃO, Josiane Lima de; MION JUNIOR, Décio. Adesão ao tratamento – conceitos. Revista Brasileira de Hipertensão, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, p. 23-25, jan. 2006.

LESSA, Ínes. Impacto social da não-adesão ao tratamento da hipertensão arterial. Revista Brasileira de Hipertensão, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, p. 39-46, jan. 2006.

MENDES, Antonio da Cruz Gouveia et al. Assistência pública de saúde no contexto da transição demográfica brasileira: exigências atuais e futuras. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 28, n. 5, p. 955-964, maio 2012.

MÉNDEZ-CHACÓN, Ericka; SANTAMARÍA-ULLOA, Carolina; ROSERO-BIXBY, Luis. Factors associated with hypertension prevalence, unawareness and treatment among Costa Rican elderly. BMC Public Health, London, v. 8, n. 1, p. 275, Aug. 2008.

RODINI, Fernanda Batista Carvalho et al. Prevenção de incapacidade na hanseníase com apoio em um manual de autocuidado para pacientes. Fisioterapia e Pesquisa, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 157-166, abr./jun. 2010.

SALGADO, Teresa et al. Cross-cultural adaptation of the Beliefs about Medicines Questionnaire into Portuguese; São Paulo Medical Journal, São Paulo, v. 131, n. 2, p. 88-94, Feb. 2013.

SILVA, Luna Rodrigues Freitas. Da velhice à terceira idade: o percurso histórico das identidades atreladas ao processo de envelhecimento. História, Ciências, Saúde, Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 155-168, jan./mar. 2008.

SOUZA, Rafaela Assis de; CARVALHO, Alysson Massote. Programa de Saúde da Família e qualidade de vida: um olhar da Psicologia. Estudos de Psicologia, Natal, v. 8, n. 3, p. 515-523, set./dez. 2003.

STRELEC, Maria Aparecida A. Moura; PIERIN, Angela M. G.; MION JUNIOR, Décio. A influência do conhecimento sobre a doença e a atitude frente à tomada dos remédios no controle da hipertensão arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v. 81, n. 4, p. 343-348, out. 2003.

Downloads

Publicado

2015-03-11

Como Citar

Santos, G. S., Filoni, E., & Alves, V. L. dos S. (2015). O IMPACTO DE UM MANUAL DE ORIENTAÇÕES NA ADESÃO AO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL E QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS. Estudos Interdisciplinares Sobre O Envelhecimento, 20(3). https://doi.org/10.22456/2316-2171.50055

Edição

Seção

Artigos