[1]
P. Pousada, “O Merzbau: a interpretação do mundo como uma forma viva sem causas primeiras”, POARTE, vol. 21, nº 35, ago. 2017.