[1]
M. F. Córdova e I. S. Bonamigo, “Filhos afastados de suas famílias: ações e concepções dos profissionais”, Rev. Polis e Psique, vol. 2, nº 1, p. 137, nov. 2012.