[1]
H. dos S. Simon e E. Kunz, “O BRINCAR COMO DIÁLOGO/PERGUNTA E NÃO COMO RESPOSTA À PRÁTICA PEDAGÓGICA”, Movimento, vol. 20, nº 1, p. 375–394, dez. 2013.