XAMANISMOS KANHGÁG: AS ARTES DE PEDRO “CHAPÉU BRANCO”

Autores

  • Lucas Cimbaluk

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.94732

Palavras-chave:

Xamanismo, Kaingang, Fazer Etnográfico.

Resumo

O artigo objetiva apontar para especificidades do trabalho de um xamã kanhgág (kaingang) em comparação com referenciais bibliográficos e outros xamãs e curadores da região da bacia do Rio Tibagi no norte do Estado do Paraná. Destaca-se a questão moral como elemento fundamental no trabalho desses especialistas e reforça-se a diversidade e abertura do xamanismo e cosmologia deste grupo, entre a centralização do poder divino e a diversificação de poderes cósmicos possíveis. Através da narrativa de uma tripla relação entre um xamã kanhgág, um paciente seu e o etnólogo, o trabalho considera a importância deste último como ator de sua própria pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

CIMBALUK, L. XAMANISMOS KANHGÁG: AS ARTES DE PEDRO “CHAPÉU BRANCO”. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 13, n. 2, p. 211, 2019. DOI: 10.22456/1982-6524.94732. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/94732. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS