DISSOLUÇÕES NECESSÁRIAS: A PERSPECTIVA DOS HUPD’ÄH NAS RELAÇÕES DO “SISTEMA REGIONAL DO ALTO RIO NEGRO”

Autores

  • Bruno Ribeiro Marques Doutor em Antropologia Social pelo PPGAS, Museu Nacional, UFRJ
  • Danilo Paiva Ramos Professor Doutor do Departamento de Antropologia, UFBA

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.93602

Palavras-chave:

Teoria Antropológica, Alto Rio Negro – Uaupés, Hupd’äh, Grande Divisor.

Resumo

Procurando ancorar-se na perspectiva dos Hupd’äh do campo relacional interétnico do Alto Rio Negro-Uaupés, o presente analisa o chamado “viés tukano”, ângulo que privilegia a socialidade de dados coletivos sociais da região em detrimento de outros, e seu impacto para o modo como os Hupd’äh e os povos da família linguística Naduhup figuram no “sistema regional rionegrino”. Para tanto, estabelece-se o paralelo entre, de um lado, narrativas míticas e princípios do pensamento hup e, de outro, o discurso científico etnológico que sedimenta o “grande divisor” composto pelos “índios do rio” e “índios do mato”. Em que medida o ponto de vista Hup sobre o “sistema regional” revela pontos cegos do modelo sociológico e aponta novos caminhos para a reflexão acadêmica sobre as dinâmicas sociais regionais?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

MARQUES, B. R.; RAMOS, D. P. DISSOLUÇÕES NECESSÁRIAS: A PERSPECTIVA DOS HUPD’ÄH NAS RELAÇÕES DO “SISTEMA REGIONAL DO ALTO RIO NEGRO”. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 13, n. 2, p. 104, 2019. DOI: 10.22456/1982-6524.93602. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/93602. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS