A MÚSICA AMERÍNDIA COMO MITOLÓGICA: POR QUE CANTAM OS KISÊDJÊ?

Autores

  • Evandro de Sousa Bonfim Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP)

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.75712

Palavras-chave:

Música, Máscara, Canto

Resumo

O lançamento da versão brasileira de Por que cantam os Kisêdjê? traz ao público de língua portuguesa uma obra antropológica fundamental tanto para a etnomusicologia quanto para a etnologia ameríndia. No que diz respeito à etnomusicologia, o autor Anthony Seeger oferece não a análise formal centrada em produtos musicais de grupos tradicionais, mas a discussão mais ampla sobre o lugar da música na vida de um povo. No caso, os Kisêdjê, também conhecidos como Suyá, e que integram o tronco Linguístico Macro-Jê e atualmente habitam o Parque do Xingu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evandro de Sousa Bonfim, Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP)

Doutor em Antropologia Social PPGAS-MN/UFRJ. Bolsista de Pós-Doutorado FAPESP (Processo 2015/26464-9).

Downloads

Publicado

2017-12-31

Como Citar

BONFIM, E. de S. A MÚSICA AMERÍNDIA COMO MITOLÓGICA: POR QUE CANTAM OS KISÊDJÊ?. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 401, 2017. DOI: 10.22456/1982-6524.75712. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/75712. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

RESENHAS