EM TEMPO DE COPA DO MUNDO, OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS EM CUIABÁ

Autores

  • Aloir Pacini Universidade Federal do Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.46905

Palavras-chave:

Jogos Indígenas, Futebol, Copa do Mundo.

Resumo

O texto traz alguns elementos que levam a compreender a estrutura dual nas modalidades de jogos presentes nas Olimpíadas Indígenas de Cuiabá em 2013, especialmente os jogos de futebol. O “futebol de cabeça”, tradicional entre algumas etnias matogrossenses, mostra que o futebol inglês não é tão estranho assim para os indígenas que assistiram a Copa do Mundo de futebol com grande interesse em 2014. O autor observou que a escolha dos locais dos jogos possuía interesses lúdicos e econômicos, por isso talvez a definição das etnias que jogaram seguia mais o critério dos não-indígenas do que os oficialmente propalados interesses indígenas. Parece ser esta a causa pela qual os Chiquitanos, enquanto etnia indígena em confronto declarado com o Governo do Estado de Mato Grosso, não tiveram espaço nos Jogos Indígenas de Cuiabá. Outro aspecto que torna isso visível é o fato de que somente algumas etnias possuíam espaço adequado para a venda dos seus artefatos. Apesar destes e de outros contratempos, os nativos Pataxós na Terra de Santa cruz souberam conectar-se com seus parentes pelas pinturas corporais, na venda dos seus artefatos e com os campeões do futebol alemães.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aloir Pacini, Universidade Federal do Mato Grosso

Antropólogo do Departamento de Antropologia da UFMT.

Downloads

Publicado

2014-12-29

Como Citar

PACINI, A. EM TEMPO DE COPA DO MUNDO, OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS EM CUIABÁ. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 168, 2014. DOI: 10.22456/1982-6524.46905. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/46905. Acesso em: 31 jan. 2023.

Edição

Seção

ARTIGOS