UM MUNDO ALÉM DO HUMANO

Autores

  • David Abram

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.43553

Palavras-chave:

Mágica, percepção, shamanismo, culto aos ancestrais, animismo, natureza.

Resumo

A partir de um projeto inicial que visava investigar a relação entre a mágica e a medicina tradicional conforme praticada pelos xamãs tradicionais das regiões rurais do sul da Ásia, o enfoque passou gradativamente para uma atenção à negociação que as pessoas da medicina ou xamãs estabelecem entre a comunidade humana e a comunidade mais ampla de seres. Essa atenção ao mundo além do humano não ocorre em um domínio supernatural acima da natureza ou dentro da psiquê pessoal do xamã, porém é o resultado da habilidade especial do xamã de projetar sua consciência horizontalmente am direção a outras formas de sensibilidade com as quais a existência humana está entrelaçada. A função ecológica do xamã consiste em manter um equilíbrio constante entre o que é retirado e o que é dado de volta para a comunidade mais ampla. Os espíritos das culturas indígenas não são definidos em oposição à materialidade, mas são essencialmente aqueles modos de inteligência ou atenção que não possuem forma humana. Ao explorar paisagens diferentes e as inteligências que nelas vivem, uma nova sensibilidade despertou, permitindo a comunicação com aquelas inteligências. Entretanto, o abafamento dessas outras vozes na cultura ocidental, que reduz o outro a um objeto, produz um mal-estar que dificilmente é percebido a não ser como uma incapacidade de interagir com tudo além do humano e suas consequências na forma do comportamento destrutivo da “civilização”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-29

Como Citar

ABRAM, D. UM MUNDO ALÉM DO HUMANO. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 7, n. 2, p. 64, 2013. DOI: 10.22456/1982-6524.43553. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/43553. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS