O REGISTRO DO BATISMO EM OPOSIÇÃO AO DA CONVERSÃO: O DISCURSO INACIANO NAS MISSÕES DO PARAGUAI NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XVII

Guilherme Galhegos Felippe

Resumo


Frente aos objetivos postos pela empresa missionária e às necessidades referentes ao trabalho evangélico – dentre eles, o registro em correspondências do cotidiano reducional –, os jesuítas agregaram ao batismo uma grande importância não apenas como ritual de passagem para o cristianismo, mas também como instrumento discursivo para confirmar a conversão dos nativos e, assim, comprovar aos superiores o bom andamento das reduções. Porém, analisando-se o discurso inaciano, percebe-se uma grande incidência de relatos que sublinham a realização do batismo, sem haver a mesma proporção de relatos que comprovem a conversão destes índios recém-batizados. Há, portanto, uma desproporção no registro jesuítico na relação entre indígenas batizados e convertidos.

Palavras-chave


Reduções platinas; Discurso jesuítico; Batismo; Século XVII

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-6524.2559

Qualis Área de Avaliação Classificação ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA B1 CIÊNCIAS AMBIENTAIS B2 COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO B2 DIREITO B3 EDUCAÇÃO B3 HISTÓRIA B3 INTERDISCIPLINAR B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 MEDICINA II B5 PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA B3 PSICOLOGIA B3 SOCIOLOGIA