O NEOLIBERALISMO E OS LIMITES DA ATUAÇÃO COLETIVA NA PANDEMIA DE COVID-19 NO BRASIL

Autores

Resumo

A pandemia de covid-19 demonstrou os efeitos catastróficos das políticas neoliberais na vida econômica e social do Brasil e nas possibilidades de resistência que os diversos movimentos sociais buscaram construir contra elas. Este ensaio visa refletir sobre o impacto da racionalidade neoliberal nas formas das ações políticas coletivas postas em prática pelos movimentos sociais no Brasil durante a pandemia de Covid-19, buscando compreender quais os efeitos que o neoliberalismo produz nas suas lutas emancipatórias. A hipótese a ser discutida é a de que as ações coletivas dos movimentos sociais têm, em grande medida, sofrido uma captura neoliberal que tem aprofundado as dificuldades históricas que eles possuem em construir coalizões políticas que produzam transformações mais amplas e de rompimento com as cadeias que os oprimem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorena Rodrigues Tavares de Freitas, UNILA

Lorena Rodrigues Tavares de Freitas é doutora em Sociologia Política pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e bacharel também em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF). É professora adjunta da Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA. Atualmente é pós-doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Desenvolve pesquisas sobre Gênero e Desigualdades e Teorias da Intersubjetividade, com ênfase nos estudos sobre Sexualidades e processos de subjetivação e Feminismo Decolonial. Foi professora e coordenadora do curso de Especialização em Gênero e Diversidade na Educação, professora e vice-coordenadora do curso de especialização em Direitos Humanos na América Latina. Recentemente ingressou como docente do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada da Unila. É coordenadora do grupo de pesquisa Gênero e Poder na América Latina e Caribe. Link do espelho do grupo no CNPq: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1296701964568118

Elisa de Campos Borges, UFF

Possui graduação em Historia pela Universidade Federal de Goiás (2000), Mestrado em Historia Social pela PUC-SP (2005), Doutorado em História Social pela Universidade Federal Fluminense (2011), com estágio na Universidade de Santiago do Chile (Usach). Atua na área de História das Américas com temas relacionados à História Social, História Política e História Cultural com ênfase em temas relacionados à Revoluções, Esquerdas, Movimentos Sociais, Movimentos políticos e cotidiano dos Trabalhadores, Partidos Políticos, Ditadura Militar, Transições políticas à democracia, Cultura, Cinema e Política. Participa do Observatório do Tempo Presente (UFF), do Grupo de Pesquisa de História Intelectual (UFMG) e do Núcleo de Estudos Contemporânea (NEC-UFF), onde atualmente é Coordenadora. Atualmente é Professora Adjunta no curso de História (graduação e pós-graduação) na Universidade Federal Fluminense (UFF). Possui artigos, capítulos de livros e livros na área de atuação.

Downloads

Publicado

2022-09-28

Como Citar

FREITAS, L. R. T. de; DE CAMPOS BORGES, E. O NEOLIBERALISMO E OS LIMITES DA ATUAÇÃO COLETIVA NA PANDEMIA DE COVID-19 NO BRASIL. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 162–182, 2022. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/127317. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS