O PAGODE DOS ANOS 80 E 90: CENTRALIDADE E AMBIVALÊNCIA NA SIGNIFICAÇÃO MUSICAL

Luiz Fernando Nascimento de Lima

Resumo


O presente trabalho aborda o pagode dos anos oitenta e noventa, um movimento musical que surgiu como uma forma de reinvenção do samba. O pagode se baseia em estruturas profundamente enraizadas na tradição do samba, mas conseguiu ser aceito em círculos muito amplos e atingir um grande sucesso de vendas. Opondo-se à hegemonia das escolas de samba, o pagode surgiu como movimento expressivo na indústria fonográfica e nos meios de comunicação de massa em um momento de transição, quando se efetuava um redirecionamento das estratégias de veiculação e vendas. De acordo com este novo direcionamento, a produção musical passou a se voltar prioritariamente para as classes “populares” e, como resultado, o pagode e outros estilos ligados a essa faixa da população passaram a ser itens preferidos na nova configuração da música brasileira. A natureza transitória do momento de aparição do pagode se reflete no perfil ambivalente de sua significação: ela está profundamente ligada às esferas locais, mas também está aberta à comunicação com níveis “trans-locais”.

Palavras-chave


pagode, samba, indústria fonográfica.

Texto completo:

PDF


Index: LAPTOC: Latin American Periodicals Tables of Contents; Latindex.