Pré-enriquecimento e isolamento direto para identificação de Campylobacter em swabs cloacais e carcaças de frango

Authors

  • Suzete Lora Kuana UFRGS
  • Luciana Ruschel dos Santos UPF
  • Laura Beatriz Rodrigues UPF
  • Anderlise Bolsoi UFRGS
  • Aline Kellermann UFRGS
  • Carlos Tadeu Pippi Salle UFRGS
  • Hamilton Luiz de Souza Moraes UFRGS
  • Vladimir Pinheiro do Nascimento UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-9216.17240

Keywords:

Campylobacter, Pré-aquecimento, Isolamento direto, Swabs cloacais, carcaças de frango

Abstract

Campylobacter

 

 

 

são microorganismos patogênicos associados com aves ou alimentos de origem avícola e sua importância está relacionada à alta prevalência de Campylobacter nos frangos de corte e suas carcaças, correlacionados com gastroenterite em humanos. Neste estudo, monitorou-se 22 lotes de frango de corte com idades entre 3 a 5 semanas na granja e 35 dias no abate e avaliou-se os métodos de pré-enriquecimento (PE) e isolamento direto (ID) para identificação de Campylobacter em swabs cloacais e carcaças de frango. Realizaram-se 22 análises de swabs cloacais pelo PE e pelo ID, 96 análises de carcaças pelo ID e, destas, 95 pelo PE. Para o isolamento direto a partir de swabs utilizou-se o ágar mCCDA acrescido de suplemento seletivo, acondicionado em embalagem não permeável e microaerofilia com mistura de gases (5% O2, 10% CO2 e 85% N2). Para o PE, os swabs foram inoculados em pool no caldo Bolton suplementado com antibióticos e 200 mg/L de TTC, seguido de inoculação em ágar mCCDA, também em microaerofilia. As carcaças também foram analisadas para ambos os métodos, utilizando-se caldo Bolton no pré-enriquecimento, seguido de inoculação em mCCDA ou isolamento direto em ágar Bolton com TTC, sempre em microaerofilia. Não houve diferença significativa (p=1,00) entre os métodos de pré-enriquecimento e isolamento direto nas amostras de swabs e carcaças. Identificou-se 81,8% lotes positivos por ID e 77,3% pelo PE na análise dos swabs e 99,0% das carcaças pelo PE e 97,9% pelo ID. Os métodos de pré-enriquecimento e isolamento direto foram homogêneos e sensíveis para detecção de Campylobacter em amostras de swabs cloacais e carcaças de frango. Entretanto, pela praticidade e antecipação dos resultados em 24 horas, recomenda-se a utilização do método de isolamento direto.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Suzete Lora Kuana, UFRGS

Luciana Ruschel dos Santos, UPF

 

 

 

Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo (FAMV), Universidade de Passo Fundo (UPF), Passo Fundo, RS.

Laura Beatriz Rodrigues, UPF

 

 

 

Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo (FAMV), Universidade de Passo Fundo (UPF), Passo Fundo, RS.

Anderlise Bolsoi, UFRGS

 

 

 

Centro de Diagnóstico e Pesquisa em Patologia Aviária (CDPA), Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS/Brasil.

Aline Kellermann, UFRGS

 

 

 

Centro de Diagnóstico e Pesquisa em Patologia Aviária (CDPA), Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS/Brasil.

Carlos Tadeu Pippi Salle, UFRGS

 

 

 

Centro de Diagnóstico e Pesquisa em Patologia Aviária (CDPA), Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS/Brasil.

Hamilton Luiz de Souza Moraes, UFRGS

 

 

 

Centro de Diagnóstico e Pesquisa em Patologia Aviária (CDPA), Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS/Brasil.

Vladimir Pinheiro do Nascimento, UFRGS

 

 

 

Centro de Diagnóstico e Pesquisa em Patologia Aviária (CDPA), Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS/Brasil.

Published

2018-03-30

How to Cite

Kuana, S. L., Santos, L. R. dos, Rodrigues, L. B., Bolsoi, A., Kellermann, A., Salle, C. T. P., Moraes, H. L. de S., & Nascimento, V. P. do. (2018). Pré-enriquecimento e isolamento direto para identificação de Campylobacter em swabs cloacais e carcaças de frango. Acta Scientiae Veterinariae, 36(1), 21–24. https://doi.org/10.22456/1679-9216.17240

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)

> >>